Resumo Por Capítulo: Dom Casmurro

Faça o download do eBook completo, em formato PDF:


Ou continue lendo online (com anúncios):

55 - Um soneto


O capítulo anterior motivou o autor a escrever mais sobre suas lembranças do seminário. Mas, antes, ele decide contar a história de “um soneto que nunca fez”, por possuir somente seus primeiro e último verso: o poema se iniciaria com “Oh! flor do céu! oh! flor cândida e pura!” e encerraria com “Ganha-se a vida, perde-se a batalha!”

Primeiro ele teve a ideia do verso de abertura, mas dali não conseguiu criar os versos seguintes. Após decidir que o poema teria o formato de soneto, percebeu que precisaria de um grande encerramento, então escolheu qual seria o último verso : “Perde-se a vida, ganha-se a batalha!” – que depois seria ligeiramente alterado, em busca de um novo sentido, em forma de ironia.


Após muito divagar sobre a criação do tal soneto e suas possíveis interpretações, o autor conclui que nunca conseguiu criar os 12 versos centrais e deixa essa missão para qualquer um que se interessar: segundo seus conceitos metafísicos, os sonetos, assim como quaisquer obras de arte, “existem feitos”… Basta que alguém descubra quais são os tais versos faltantes!

Faça o download do eBook completo, em formato PDF:


Ou continue lendo online (com anúncios) navegando abaixo:


Publicidade
Publicidade