top of page

Resumo Por Capítulo: O Crime do Padre Amaro

Capítulo 6


Amaro logo se acomodou à vida em Leiria, que parecia uma recompensa dos anos sofridos com seu tio, no seminário e em Feirão: tinha roupas limpas, comida quentinha, companhia de mulheres e responsabilidades leves. A convivência com Amélia, que se fazia muito aberta ao pároco em conversas e brincadeiras, despertava-lhe desejos profundos.


CONTINUE LENDO APÓS A PUBLICIDADE


Havia uma publicação chamada “Cânticos a Jesus” que trazia orações repletas de termos que poderiam ser interpretados como luxuriosos: “Amo-te com paixão e desespero! Abrasa-me! Queima-me! Vem! Esmaga-me! Possui-me!”. Padre Amaro resolveu presentear Amélia com este livro e ela sofria de insônia e palpitações após sua leitura.


CONTINUE LENDO APÓS A PUBLICIDADE


Certo dia ao chegar em casa padre Amaro encontrou a porta do quarto de S. Joaneira entreaberta e a flagrou na companhia do Cônego Dias, ambos vestindo-se. Saiu sem ser notado e ficou ruminando aquele escândalo jamais suspeitado: seriam mãe e filha sedutoras de padres em troca de ajuda financeira? Concluía que eram todos pecadores e chegava a sentir prazer ao imaginar possuir Amélia em um quarto enquanto o Cônego se uniria a S. Joaneira no outro.


CONTINUE LENDO APÓS A PUBLICIDADE


Mais tarde Amaro encontrou João Eduardo fazendo visita a Amélia, situação que sempre o incomodava. Ainda afetado pela cena que presenciara, isolou-se em seu quarto lamentando que tenha sido levado ao seminário: poderia ser um ótimo marido, seria totalmente devotado à sua família, tinha inveja de João Eduardo. Foi dormir desejando Amélia e seus beijos.


CONTINUE LENDO APÓS A PUBLICIDADE



ou continue lendo online...

bottom of page